Doença provocada pelo novo coronavírus é batizada de Covid-19 pela OMS

12.02.2020

Nomenclatura segue diretrizes internacionais.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) definiu nesta terça-feira (11) que a doença respiratória provocada pela infecção do novo coronavírus deverá ser chamada de Covid-19.

A nomenclatura segue diretrizes internacionais que pedem para não se fazer referência a uma localização geográfica, um animal, um indivíduo ou grupo de pessoas. As regras pedem também que o nome seja pronunciável e que estabeleçam alguma relação com a doença.

"Ter um nome é importante para impedir o uso de outros nomes que podem ser imprecisos ou estigmatizantes", disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus. Com a falta de uma identificação oficial, alguns veículos internacionais descreviam a doença como "coronavírus de Wuhan".

O nome do vírus não foi definido pela organização. Temporariamente, recebeu a nomenclatura de 2019-nCoV. Segundo uma porta-voz da agência, ele será batizado por um grupo internacional de virologistas que identificarão a taxonomia deste coronavírus, que pertence a um grupo já conhecido anteriormente.

Recuperação

A taxa de recuperação do Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, aumentou para 10,3% nesta terça-feira (11), se comparada ao registrado em 27 de janeiro, que era de 1,3%. A informação é da Comissão Nacional de Saúde da China.

O balanço mais recente do governo chinês aponta que 1.114 pessoas morreram de Covid-19 na China, até as 7h40 (horário de Brasília) desta quarta-feira (12). Há 44.730 casos confirmados na China e mais de 4.740 pessoas receberam alta dos hospitais após a recuperação.

De acordo com o site Xinhua News, da China, o número de pacientes recuperados teve um crescimento relativamente rápido. Segundo Mi Feng, funcionário da Comissão Nacional de Saúde, isso se deve às medidas reforçadas do país contra o vírus e ao ciclo da doença.

Outro fator que aponta melhora na epidemia é o fato de que os novos casos de Covid-19 registrados fora da província de Hubei, epicentro da doença, estão diminuindo há oito dias seguidos, de acordo com o site chinês CGTN.

Confira a situação até as 7h40 desta quarta-feira (12):

  • 1.114 mortes na China (incluindo uma no território semiautônomo de Hong Kong)
  • 1 morte nas Filipinas
  • 44.730 casos confirmados na China
  • 397 casos confirmados em outros 24 países
  • Mais de 4.740 recuperações da doença

Brasileiros repatriados

Exames laboratoriais mostram que os brasileiros repatriados de Wuhan, na China, e os profissionais que tiveram contato com eles não estão infectados pelo novo coronavírus, de acordo com o Ministério da Saúde.

Os resultados dos testes realizados pelo Laboratório Estadual de Saúde Pública Dr. Giovanni Cysneiros (Lacen-Goiás) foram entregues ao governo nesta terça-feira (11).

Brasil investiga casos, nenhum foi confirmado

O Brasil segue monitorando 8 casos suspeitos de Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, em brasileiros que foram à China ou tiveram contato com quem viajou ao país.

Segundo o governo, desde o início do monitoramento, 33 casos foram descartados.

Entre os pacientes acompanhados, três estão em São Paulo, dois no Rio de Janeiro, um no Paraná, um em Minas Gerais e outro no Rio Grande do Sul.

Foto: Reprodução Internet

Compartilhar

Fonte - Reprodução G1 Sul de Minas Autor -

Solicitar Musica

UF

MG

  • AC

  • AL

  • AP

  • AM

  • BA

  • CE

  • DF

  • ES

  • GO

  • MA

  • MT

  • MS

  • MG

  • PA

  • PB

  • PR

  • PE

  • PI

  • RJ

  • RN

  • RS

  • RO

  • RR

  • SC

  • SP

  • SE

  • TO