Copasa vai substituir hidrômetros em Minas Gerais

02.11.2019

A previsão é de que até dezembro de 2019 sejam substituídos 420 mil hidrômetros.

O hidrômetro é o aparelho responsável pela medição do volume de água consumida. Assim, toda vez que a torneira for aberta, o chuveiro ou a descarga for acionada, o hidrômetro entra em ação. É ele que registra a quantidade de água que cada usuário consome em todas as cidades operadas pela Copasa em Minas Gerais.

Por ser um instrumento de medição, o seu uso é regulado por meio da Portaria 295 de julho de 2018, do Instituto Nacional de Metrologia Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que constitui como uma forma de garantir a justa medição da água utilizada pelos usuários deste serviço. Esta legislação prevê, dentre outros requisitos de qualidade do hidrômetro, a realização de ensaios para avaliação de seu desempenho, além da necessidade de verificações periódicas e eventuais destes aparelhos.

Segundo o gerente da Divisão de Hidrometria, Arnaldo Reis Carvalho Filho, desde 2004, a Copasa institucionalizou o Programa de Melhoria de Qualidade da Micromedição (PMQM), que tem por finalidade promover a substituição de hidrômetros em todo o Estado, que estejam defasados tecnologicamente, por tempo de uso ou inadequados ao perfil de consumo.

“A previsão é de que até dezembro de 2019, sejam substituídos 420 mil hidrômetros por equipamentos mais modernos que apresentem melhor desempenho na medição, como por exemplo a utilização de medidores ultrassônicos que apresentam tecnologias mais resistentes ao desgaste prematuro, além de oferecer possibilidades de medição de vazões cada vez menores e mais adequados às soluções da medição inteligente”, informou.

Ainda de acordo com o gerente da Copasa, a execução desse serviço é de total responsabilidade da Copasa e não acarreta nenhum ônus para o usuário. “A substituição dos hidrômetros é uma ação que tem como propósito manter o padrão de qualidade da prestação dos serviços e a satisfação dos usuários. Como qualquer aparelho de precisão, o equipamento está sujeito a eventuais desgastes e defasagem tecnológica, que pode gerar uma imprecisão na medição da água consumida em torno de 16%, conforme estudos estatísticos e de estimativas elaboradas pela Copasa”, explicou Arnaldo Reis.

“Na Companhia são utilizados vários tipos de hidrômetros que variam de acordo com sua necessidade e característica. Eles são adquiridos de diversos fabricantes e todos são aprovados em laboratórios autorizados pelo Inmetro. Somente, após essa autorização, os equipamentos são disponibilizados para instalação pelas unidades operacionais”, acrescentou.

Foto: Divulgação

Compartilhar

Fonte - Diário do Aço Autor -

Solicitar Musica

UF

MG

  • AC

  • AL

  • AP

  • AM

  • BA

  • CE

  • DF

  • ES

  • GO

  • MA

  • MT

  • MS

  • MG

  • PA

  • PB

  • PR

  • PE

  • PI

  • RJ

  • RN

  • RS

  • RO

  • RR

  • SC

  • SP

  • SE

  • TO